Presidente do Sindicato dos Policiais Civis baianos acusa PM de agredi-lo em protesto contra Temer

Compartilhe nas redes sociais:

Nesta quarta-feira(24) policiais civis de diversos Estados do país aderiram às manifestações, em Brasília, para reivindicar a realização de Eleições Diretas e protestar contra as Reformas da Previdência e Trabalhista.

O presidente do na Bahia, Marcos Maurício, explica que o Projeto da Reforma Presidente do Sindicato dos Policiais Civis baianos acusa PM de agredi-lo em protesto contra Temer da Previdência, proposto por Michel Temer, vai trazer prejuízos históricos à categoria.

Segundo o sindicalista, o Governo Federal alterou a idade de aposentadoria para 65 anos homens e 62 anos mulheres, além de aumentar o tempo de contribuição para 25 anos. “Estão desconsiderando que a exerce atividade de risco! Não vamos aceitar esse desrespeito com a categoria!”, frisou Marcos Maurício.

Durante a manifestação em Brasília, o presidente do SINDPOC destacou que os policiais civis vão intensificar as manifestações e atos políticos contra o Governo Federal e Estadual.

“Hoje vivemos uma cena de guerra! A PM avançou nas áreas destinadas aos manifestantes e agrediu mulheres, crianças, estudantes e policiais civis com bomba de gás lacrimogêneo e balas de borracha! Um verdadeiro atentado ao Estado Democrático e de Direito!”, criticou Marcos Maurício. O sindicalista foi atingido pela e encontra-se com lesões na região das costas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *