Greve Geral: populares se dividem sobre eficácia de protesto contra reformas

Marcado por discursos inflamados de políticos e lideranças sindicais, o ato da greve geral realizado na Avenida Tancredo Neves alterou a rotina dos soteropolitanos nesta sexta-feira (30). Dois meses após o primeiro movimento grevista contra as reformas trabalhista e previdenciária do governo federal, a manifestação divide opiniões da população, que aponta prós e contras.

Eliana Pires, operadora de call-center, questionou o resultado da greve geral. “Acho válido, mas não sei se vai surtir efeito”, frisou.

A estudante de administração Maria Luiza disse concordar com o ato, apesar da longa caminhada iniciada na Rótula do Abacaxi até a área do Shopping da Bahia. “É importante ir pras ruas, o chato é ter que andar, mas tem que protestar mesmo”, disse ao BNews.

Funcionário de um colégio nas imediações, Marcos Tertuliano, que precisou descer do ônibus na Avenida Bonocô, apoia mobilização, mas crava: “não vai dar em nada”.

Por outro lado, o operador de retroescavadeira, Antônio Silva, disse que os incômodos causados refletem uma causa justa. “O povo tem que apoiar”, afirma.

Fotos: Vinícius Ribeiro/BNews

Fonte: Bocão News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *