Plano de Saneamento Básico é discutido com moradores de Areia Branca

Compartilhe nas redes sociais:
Vamos construir um plano que represente os anseios da população e para isso é importante estar com quem executa e com quem vivencia as situações”, declarou a prefeita Moema Gramacho na abertura da segunda audiência do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB) de Lauro de Freitas, realizada na noite desta quarta-feira ( 6), na Escola Edvaldo Boaventura, em Areia Branca.
Durante uma hora e meia, técnicos da Empresa Baiana de Abastecimento e Saneamento Básico (Embasa) e da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra) divulgaram as ações que estão sendo realizadas na cidade e ouviram a população local. Atentos às novidades, a população destacou esgotamento sanitário como maior prioridade para a região.
“Nosso boleto de pagamento dos serviços de água potável pagamos também taxa de esgoto e portanto queremos usufruir do serviço”, argumentou André Kajá, morador de Areia Branca. O superintendente da Embasa, Cesar Requião respondeu afirmando que se não existe esgoto a cobrança é indevida. “Em Lauro de Freitas temos soluções locais. Atualmente temos aqui em Areia Branca três estações de tratamento de esgoto nos residenciais recentemente implantados”, informou. O gestor explicou ainda que com a retomada da obra de esgotamento iniciada em 2010 e suspensa devido a disputas judiciais, 50% da população deverá ser atendida após conclusão. “No início deste ano, a obra foi liberada e segue em fase de revisão de projeto. Os investimentos são da ordem de 96 milhões do PAC”, explicou. Com mais de 17km de linha de recalque, o projeto transportará o esgoto de Lauro de Freitas para o emissário submarino da Boca do Rio, em Salvador.
TRANSVERSALIDADE
PMSB é fomentado em transversalidade pelas secretarias de Infraestrutura e Serviços Públicos. Dividido em quatro eixos temáticos – águas pluviais, drenagem, resíduos sólidos e esgoto – mais quatro audiências estão programadas para acontecer. “Os encontros estão previstos para Portão, Vilas do Atlântico, Jambeiro e Caji. A previsão é de que todas as etapas do PMSB sejam concluídas até dezembro quando será encaminhado para apreciação da Câmara de Vereadores”, finalizou o gestor da Seinfra, Vidigal Cafezeiro.
Esse projeto tem um milhão de reais destinado a contrapartida social. O estudante Mateus Santos questionou quanto a aplicação deste investimento. “Já existe retorno?”, indagou. Requião explicou que são recursos para serem gastos em 20 anos e que irão beneficiar 400 mil habitantes entre Salvador e Lauro de Freitas.
Fonte: ASCOM PMLF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *