Defesa do território une vereadores e sociedade civil

Compartilhe nas redes sociais:

A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas sentadas

 

Defesa do território une vereadores e sociedade civil

Numa demonstração de unidade em defesa da integridade territorial do município, os 17 vereadores de Lauro Freitas disseram presente na audiência pública da Comissão Especial de Assuntos Territoriais e Emancipação da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (4), para o debate sobre os limites com Salvador.

Convidada pelo presidente da Comissão, deputado Zó (PCdoB), para ter lugar à mesa diretora dos trabalhos, a presidenta da Câmara, Naide Brito, ficou ao lado da prefeita Moema Gramacho, da deputada Mirela Macedo e outros parlamentares integrantes do colegiado.

“Se outras administrações municipais abriram mão de territórios, este é um novo momento. Itinga, Areia Branca, Capelão e Ipitanga são parte de Lauro”, disse Naide, defendendo o entendimento com Salvador e saudando a comissão da sociedade civil do município, que mobilizou as comunidades para a audiência.

Moema: “Salvador não pode passar dos limites”

“A Prefeitura de Salvador não pode passar dos limites”, afirmou a prefeita Moema Gramacho, em uma frase para ser interpretada nos sentidos territorial e político e que arrancou aplausos do público. Para ela, não se trata de subtrair nada de Salvador, mas de dar a Lauro de Freitas o que lhe é de direito.

Moema apresentou a proposta de dialogar com a Prefeitura de Salvador e cobrou a presença do prefeito ACM Neto nos debates. Mas ressalvando que se gestões anteriores fizeram qualquer tipo de acordo para ceder territórios sem documentos comprobatórios, “é hora de discutir”.

Moradores compareceram em peso

Desde cedo moradores de Areia Branca, Itinga, Capelão, Ipitanga e outras localidades começaram a ocupar a Assembleia Legislativa para participar da audiência pública da Comissão Especial de Assuntos Territoriais e Emancipação, nesta quarta-feira (4).

Mesmo com a retirada das divisórias, duplicando o espaço, a sala não foi suficiente para abrigar a grande quantidade de pessoas. A audiência teve que ser transferida para o plenário do Legislativo estadual, que foi inteiramente tomado, assim como a galeria, e foi aberta pelo próprio presidente, deputado Ângelo Coronel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *