Servidores de Lauro de Freitas são obrigados a tomar empréstimo com juros abusivos em financeiras

Compartilhe nas redes sociais:

Desde a gestão do prefeito Márcio Paiva, os servidores municipais de Lauro de Freitas estão impossibilitados de realizar operação de crédito consignado com a Caixa Econômica Federal, banco conveniado com a prefeitura. Após um suposto esquema de fraude, o banco suspendeu o sistema de crédito com os servidores contratados e comissionados, mantendo apenas a relação com os servidores efetivos.

Milhares de servidores estão se sentindo prejudicados com a determinação, que já ocorre há mais de dois anos. Sem poder utilizar a consignação com linha de crédito que possui juros mais baixos, os trabalhadores de Lauro de Freitas vem sendo obrigados a contratar empréstimos em financeiras que cobram juros que ultrapassam 100% do valor adquirido.

Um servidor, que preferiu não se identificar, declarou que, por não poder tomar um empréstimo consignado com a Caixa, teve que efetuar uma operação de crédito com a Crefisa, que liberou R$ 4.500,00 para ele. Porém, ele deverá a pagar 12 parcelas de R$ 1.180,00 à financeira, totalizando R$ 14.160,00. Ou seja, ele paga mais de R$ 9.000,00 em juros.

Procurado pela redação do BBNews para dar explicações sobre o assunto, Ailton Florêncio, secretário da administração de Lauro de Freitas, não foi encontrado pela reportagem. A Caixa Econômica também não informou quando irá retomar o convênio com a Prefeitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *