Neto e Temer discutem eleições na Bahia em encontro no Planalto 

A disputa eleitoral na Bahia foi o tema principal da reunião entre o prefeito ACM Neto (DEM) e o presidente Michel Temer (PMDB), ontem à noite, no Palácio do Planalto. Embora a liberação de recursos para o Hospital Municipal e o projeto do BRT de Salvador tenha entrado na pauta, Temer usou a maior parte do encontro para discutir a eventual candidatura de Neto a governador e os entraves que o impediriam de concorrer ao cargo. Divulgada na agenda presidencial, a conversa ocorre em meio à pressão exercida sobre o democrata por caciques da base aliada ao governo federal e líderes da oposição no estado, interessados em um palanque forte na Bahia, tido hoje como o mais importante reduto do PT. Lista que inclui, além do próprio Temer, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Novos ares 
Articuladores políticos de ACM Neto mantêm sigilo sobre detalhes do encontro, mas garantem que ele desembarcou em Brasília bem mais animado com a candidatura.
Duplo trampolim
Em conversas reservadas, parlamentares e políticos que integram o comando da tropa oposicionista avaliam que dois fatores colocaram ACM Neto a um passo da batalha pelo Palácio de Ondina. O indiciamento do ex-ministro petista Jaques Wagner pela Polícia Federal e o avanço da Operação Cartão Vermelho sobre a campanha do governador Rui Costa (PT) em 2014 é o primeiro.  Fora os desgastes já provocados pelo cerco, as incertezas sobre o futuro das investigações aumentaram as chances de acordo do DEM  com PP e PR, partidos que atualmente transitam entre os dois lados do duelo. O outro tem origem em sinais de reviravolta na cúpula do  PMDB baiano.

Das duas, uma
Levantamento feito pela Satélite junto ao cadastro da Receita aponta uma segunda empresa abrigada no mesmo endereço da Parceria Inteligente, alvo de mandado de busca e apreensão cumprido anteontem pela Polícia Federal durante a Cartão Vermelho. Além de dividirem a sala 338 do Edifício Max Center, no Itaigara, a Parceria Inteligente e a Finamori Consultoria têm donos em comum. Uma das empresas está, de fato, no radar da PF.

Maré vermelha
Na onda de azar judicial enfrentada pelos petistas baianos, o prefeito de Senhor do Bonfim, Carlos Brasileiro, será interrogado no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) no próximo dia 19. Réu em uma ação penal na qual é acusado de fraude a licitação, Brasileiro foi intimado a depor pessoalmente pelo desembargador Ney Bello, relator do processo no TRF1. A denúncia criminal contra ele tramita desde 2012.

Coro afinado
Líder do novo bloco partidário formado por 11 partidos e 201 parlamentares da Câmara, o deputado federal José Rocha (PR) está cada vez mais próximo do presidente Michel Temer. Ontem, ele foi o único baiano entre os 23 deputados presentes na cerimônia de posse de Raul Jungmann como ministro da Segurança Pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *