Com dois contra e golaço de Junior Brumado, Bahia avança e final será com BAVI

Compartilhe nas redes sociais:

A final do Campeonato Baiano contará novamente com seus dois protagonistas. Neste domingo (25), o Bahia garantiu a vaga ao vencer a Juazeirense, por 3×0, na Fonte Nova, e disputará a taça contra o Vitória.

A decisão acontecerá em jogos de ida e volta, nos dias 1º de abril, na Fonte Nova, e 8, no Barradão. Por ter melhor campanha geral, o Leão tem vantagem de jogar por dois empates para erguer a taça.

Em campo, um cenário pouco comum. O Bahia, que só precisava de um empate para avançar, não esperava que seu trabalho fosse tão facilitado. O time da casa quase venceu o jogo sem fazer nenhum gol.

Vamos ao primeiro tempo. O tricolor teve boa posse de bola, mais qualidade técnica, deu trabalho ao goleiro Tigre, mas suou para despachar o time do interior.

O primeiro gol quase saiu aos 13 minutos, quando Lucas Fonseca aproveitou cobrança de falta de Vinícius e cabeceou para a rede, mas o zagueiro estava em posição irregular e a arbitragem anulou o gol corretamente.

O Bahia estava intenso e não dava sossego à defesa do time de Juazeiro. Edigar Junio recebeu sozinho e, cara a cara com Tigre, chutou a bola em cima do goleiro ao tentar o drible, perdendo um gol impressionante. Em outra oportunidade, Marco Antônio carimbou a trave.

O Bahia até chegava com perigo, mas pecava no chute – além de contar com um dia até então inspirado do goleiro Tigre. Um combo que mantinha o 0x0 no placar.

Aos 15, o gol saiu. Nino chegou na linha de fundo e cruzou. Ele esperava que algum companheiro aparecesse, mas quem chegou antes de todos e mandou um chute traiçoeiro foi Júnior Gaúcho, que fez contra. É a segunda vez que ele comete esse vacilo no Baianão, ambos em jogos contra o Bahia. O outro foi em Juazeiro, no triunfo tricolor por 2×1 na primeira fase.

O Bahia ainda teve chances com Marco Antônio, Edigar Junio e Zé Rafael, mas não fez. A Juazeirense, que apostava no chutão, chegou com Bruno Matos e Salatiel, mas sem impor muita dificuldade ao goleiro Douglas.
QUE DIA…
No segundo tempo, o torcedor voltou a se apegar à frase de Dadá Maravilha, de que “não existe gol feio, feio é não fazer gol”. Aos 13 minutos, aconteceu outro gol de lambança na Fonte.

Pressionado, Capone não conseguiu sair jogando e recuou a bola para Tigre. O goleiro, que estava bem no jogo, deu uma furada constrangedora e a bola entrou devagarinho no gol. Mais um contra. Ê Juazeirense… Bahia 2×0.

Para fechar com chave de ouro, um golaço, que valeu por todos perdidos e compensou a falta de beleza dos anteriores. Aos 32, Júnior Brumado avançou sozinho, se livrou de dois marcadores, dribla mais um e deu um toquinho na saída de Tigre para fazer um golaço.

O Bahia garantiu vaga para a final, mas terá um desfalque importante no primeiro Ba-Vi. Nino caiu na pequena área, o árbitro entendeu que houve simulação e expulsou o lateral-direito com o segundo cartão amarelo.

Antes de disputar a final do estadual, o Bahia joga quinta, contra o Botafogo-PB, para tentar vaga nas quartas de final da Copa do Nordeste. O jogo será em João Pessoa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *