Empresário preso em 2017 é condenado a 16 anos de prisão

O empresário Ricardo Peixoto, preso com cinco toneladas de suplementos alimentares clandestinos na Operação Hedonikos, da Polícia Federal, em outubro de 2017, foi condenado a 16 anos de prisão. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), a decisão foi tomada no dia 27 de março e publicada ontem (3) no Diário Oficial da Justiça Federal.

Ele também é acusado de abrir contas bancárias e obter empréstimos na Caixa Econômica Federal e em outras instituições financeiras com documentos falsos. O débito que ele possui só com a Caixa ultrapassa R$ 6,5 milhões.

A investigação constatou que Ricardo alterou o nome para Ricardo Peixoto Silva, em virtude de decisão judicial de reconhecimento de paternidade, mas voltou a utilizar o nome antigo, Ricardo Ribeiro Peixoto, para cometer os crimes.

Entre as fraudes estão as aberturas de contas bancárias e de empresas, tudo com o nome, CPF e RG já inativos, com a consequente inadimplência perante os bancos e não pagamento de tributos das empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *