Operadores do transporte público de Lauro de Freitas criam Comissão com as diversas categorias para tratar sobre o Transporte clandestino na cidade.

Compartilhe nas redes sociais:

Na tarde desta quarta-feira (dia 04) em reunião na sede da ATAC na Itinga em Lauro de Freitas, as cooperativas de transporte coletivo que atuam dentro da cidade TRANSLAUF, COOPELOTAÇÃO e COTALFCA a cooperativa de táxi LITORAL TÁXI e a cooperativa de mototaxistas COOPMLAUF, decidiram criar a Comissão Local dos Operadores de Transporte Público de Lauro de Freitas/Bahia, para colocar em debate assuntos de interesse dos participantes, compartilhar experiências e tentar resolver os problemas do transporte assim como cobrar da Excelentíssima Prefeita Moema Gramacho providências na fiscalização do transporte irregular dentro do município.

Pauta.

Dentre as pautas discutidas, a questão que dominou todo o debate entre as cinco entidades foi o transporte realizado pelos ligeirinhos.

O presidente da TRANSLAUF Altamirando Junior reconheceu as críticas recebidas sobre a operação dos associados da cooperativa, mas afirma que o maior impeditivo para qualquer investimento em modernização da frota, melhoria na fiscalização e treinamento dos operadores é a concorrência do transporte clandestino o qual limita a receita e leva em falência o operador regular, este permissionário do município, o qual paga seus impostos.

“O maior impeditivo para a melhora de qualquer serviço, em especial um serviço com equipamento (micro-ônibus) e manutenção extremamente cara como é o transporte coletivo de passageiros é a falta de investimento”;

“Essa falta de investimento é consequência direta do declínio acentuado da receita do permissionário após o crescimento sem controle dos ligeirinhos”;

“Importante lembrar tanto a administração do município como a população que o Ligeirinho não transporta o idoso, o deficiente, o obeso, a gestante, o estudante e nem o funcionário da prefeitura, transportando apenas aqueles que pagam”;

“Para se ter uma noção, em estudo feito e apresentado em 2016 para a gestão de Márcio Paiva, somente os associados da TRANSLAUF tiveram uma fuga de receita com o transporte dos passes de gratuidade do idoso, do deficiente e acompanhante, dos agentes públicos do município, e de meia-passagem dos estudantes o montante de R$ 3.326.400,00 em seus 12 (doze) meses antecedentes, sem qualquer contrapartida do município”;

“A atuação do Ligeirinho criou um impacto econômico dentro do município inviabilizando investimento”;

“Parte da população que acha uma boa ideia esse tipo de transporte não consegue perceber que o mesmo é um câncer para a mobilidade da cidade, um perigo para a segurança já que não fazem vistoria ou possuem qualquer responsabilidade por não ser um transporte legal e regular, e é o principal percalço para o investimento do transporte coletivo de passageiros em razão da fuga de receita que representa”.

Ofício.

Após a criação da comissão foi confeccionado ofício encaminhado a Prefeita Moema Gramacho solicitando o agendamento de reunião com o intuito de discutir e estabelecer providências urgentes na fiscalização para coibir o transporte clandestino na cidade.

O presidente da TRANSLAUF Altamirando Junior finaliza:

“A TRANSLAUF está passando por uma completa restruturação para melhorar de forma eficiente a qualidade do serviço de transporte a população, e por isso o principal objetivo da criação da comissão é o restabelecimento da viabilidade econômico-financeira a qual devolverá ao sistema de transporte público que atua na cidade a subsistência assim como a capacidade de investimento dos permissionários para a modernização da frota e melhoria do transporte”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *