Sem Lula, Ciro investe em aliança com PCdoB, tradicional aliado do PT

Compartilhe nas redes sociais:

pré-candidato presidencial do PDT, Ciro Gomes, iniciou articulação para tentar compor uma aliança com o PC do B, partido tradicionalmente aliado do PT. Nesta quinta-feira (10), em um gesto de aproximação, o pedetista se reuniu com a pré-candidata do PC do B, Manuela D’Ávila. No encontro, falaram sobre o cenário eleitoral, mas não trataram de uma composição no primeiro turno.

A estratégia do PDT tem sido a de, neste momento, tentar aglutinar o PC do B e o PSB em uma espécie de frente de esquerda, facilitando um eventual acordo, em julho, em torno de Ciro Gomes. “Eu tratei com ele [Ciro] a necessidade de manutenção dos canais de diálogo entre as candidaturas progressistas”, disse Manuela à reportagem.

Ela lembrou que mantém diálogo também com o PT e com o PSOL. “Temos de nos concentrar no que nos une, não no que nos divide. Somos concorrentes, mas os adversários estão do outro lado”, afirmou. Mesmo com a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em abril, o PDT considera improvável a possibilidade de uma aliança com o PT no primeiro turno.

Ainda assim, negocia-se um pacto de não agressão entre os dois partidos no primeiro turno, na tentativa de que uma candidatura de esquerda passe ao segundo turno.

Na semana passada, o governador do Maranhão, Flávio Dino, defendeu que PC do B, PSOL e PT abram mão de suas pré-candidaturas para apoiar Ciro Gomes.

Para ele, a multiplicidade de candidaturas ameaça o campo da esquerda de perder já no primeiro turno. “Está chegando o momento de admitir uma nova agenda. Se não oferecermos uma alternativa viável, você pode perder a capacidade de atrair outros setores do centro que se guiam também pela viabilidade”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *