Oficinas Terapêuticas com mosaico do CAPS devolvem saúde e autoestima a pacientes

Compartilhe nas redes sociais:

Das mãos habilidosas de dona Maria José as pedrinhas, plásticos, areia, vidros ou azulejos com cores e formatos diferentes se unem e dão forma a quadros com imagens decorativas seguindo as técnicas milenares da arte do mosaico. A dona de casa de 62 anos é assistida do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Outras Drogas (CAPS – AD), localizado no Caji, e assídua nas Oficinas de Arterapia. No local, a cada quarta-feira peças diferentes são produzidas e ganham espaço em outros lugares trazendo beleza e vida.
Segundo a arteterapeuta Ione Silva, as oficinas estão dentro da oferta estruturada do CAPS AD e buscam fortalecer a integração, promovendo conversas, aconselhamentos e gerando renda para o usuário. “É um momento que promove a troca de saberes, estimula a interação social e dá mais independência às pessoas que necessitam da nossa assistência. Fazemos todas as peças aqui, de forma manual e, através da comercialização dos produtos, conseguimos gerar lucro e renda, o que também proporciona autonomia aos nossos usuários”, contou.
De acordo com auxiliar administrativo da unidade, Windson Bonfim, para atender as necessidades de cada paciente, após o acolhimento é realizado o Plano Terapêutico Singular (PTS). “Este plano vai direcionar o tratamento de forma individualizada conforme a necessidade de cada paciente: Trabalhos em grupo; Oficinas Terapêuticas; Atividades em grupos diversos; Consultas psiquiátricas; Grupo de famílias, dentre outros”, explicou.
Entre flores, borboletas e elementos da natureza minuciosamente colocados sobre as peças, o usuário André Santos* que faz tratamento na unidade e integra as oficinas, declarou que o CAPS AD o salvou porque o tirou de “coisas ruins”. “A oficina foi uma peça muito importante para a minha salvação”, revelou. Já para a usuária Cleide Silva*, a oficina é revigorante. “Quando chego aqui me sinto útil e feliz, além de gerar rendimento e ajudar minha família”, frisou.
O CAPS AD atende mensalmente cerca de 400 pessoas que são acompanhadas por uma equipe multidisciplinar composta por médicos psiquiatras, psicólogos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêutico, educador físico, arteterapeuta e assistente social. No local, os assistidos são acompanhados por terapias individuais ou em grupo. “As atividades desenvolvidas no CAPS-AD vão desde o atendimento medicamentoso, psicoterápico e de orientação até atendimentos coletivos como visitas domiciliares e oficinas terapêuticas”, completou Bonfim.
Ao lado do prédio da unidade, uma pequena horta promove o estímulo sensorial – tato e olfato e a integração entre os assistidos. Os vegetais, hortelã, salsa e coentro, são utilizados no tempero das refeições servidas no equipamento.
O CAPS AD é um dispositivo da saúde mental que acolhe e trata usuários do SUS e seus familiares com prejuízos decorrentes do uso abusivo e dependente de substâncias psicoativas. A unidade está localizada na Rua Chile, número 198, no Caji. Os interessados nos atendimentos podem procurar a unidade de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h, ou entrar em contato através do telefone 71 3288-7407 / 71 3288-7306.
*Os nomes dos personagens são fictícios para resguardar a identidade dos assistidos.

Jornalista Giovanna Reyner
Foto Silva Junior
ASCOM/PMLF
23/10/2019
Tel.: 3288 – 8371
www.laurodefreitas.ba.gov.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *