Rosalvo distribui alerta para população de Lauro sobre o COVID-19

Compartilhe nas redes sociais:

COVID-19, NOVO CORONAVÍRUS

Como é do conhecimento de todos, o Brasil vive uma grave crise de saúde pública, provocada pelo novo coronavírus, causador da COVID-19, uma doença infecto-contagiosa ainda sem cura.

É consenso entre médicos e cientistas que a doença atinge com gravidade principalmente os mais idosos e adoentados, que precisam de toda a nossa atenção e proteção.

Mesmo assim, todas as projeções indicam que o sistema de saúde brasileiro não terá capacidade para atender nem mesmo os casos menos graves. Muitos vão precisar de atenção hospitalar especializada, mas poucos vão conseguir. Nenhum país do mundo seria capaz de atender essa demanda.

Nem mesmo países desenvolvidos e com sistemas sofisticados de saúde pública, como a Itália, têm conseguido responder à demanda que esta crise de saúde apresenta.

Países como a Alemanha estimam que 70% a 80% da população será contaminada e que uma boa parte precisará de cuidados hospitalares. É inevitável, segundo os cientistas.

Precisamos encarar as vítimas desta pandemia para além dos números frios: pode ser um parente nosso, um pai, um avô. O que importa aqui é proteger vidas, quaisquer vidas.

No Brasil, na Bahia, em Lauro de Freitas, ao contrário do que acontece na Itália, ainda temos a oportunidade de desacelerar o ritmo das infecções, permitindo que os nossos hospitais, públicos e privados, possam atender o máximo de pessoas ao longo dos próximos meses.

Está é uma crise de saúde pública que deve durar 20 semanas, de acordo com o Ministro da Saúde. Vai passar. Mas o sistema não conseguirá atender todos ao mesmo tempo.

O afastamento social, quando se elimina o contato físico entre as pessoas, é fundamental para retardar o máximo possível a expansão do vírus entre nós.

Estados e municípios de todo o Brasil (e em todo o mundo) têm adotado medidas para retardar a disseminação do vírus, proibindo a aglomeração de pessoas, cancelando eventos e até mesmo encerrando temporariamente várias atividades econômicas.

Cabe a cada um de nós fazer a sua parte nesse esforço, permitindo aos trabalhadores da saúde atravessar a crise com o menor número possível de vítimas fatais, atendendo o maior número possível de pessoas.

É nesse sentido que a Câmara Municipal de Lauro de Freitas edita hoje uma série de medidas, todas destinadas a retardar a disseminação do vírus.

Resta seguir as orientações das autoridades de saúde, com máxima atenção à higiene pessoal e aos idosos de cada família. É hora de retribuir tudo o que fizeram por nós.

Que Deus esteja conosco.

Antônio Rosalvo
Presidente da Câmara Municipal de Lauro de Freitas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *