Campanha de vacinação contra a gripe H1N1 é prorrogada

Compartilhe nas redes sociais:

A campanha de vacinação contra a gripe segue em Lauro de Freitas até o dia 10. No município, conforme o levantamento mais recente da Secretaria de Saúde (Sesa), mais de 47 mil pessoas receberam a dose da vacina, o que representa cobertura vacinal de 61,58% entre os grupos prioritários. A meta estipulada pelo Ministério da Saúde é alcançar os 90%.

De acordo com a superintendente da Vigilância em Saúde da Sesa, Regina Coeli, Lauro de Freitas bateu a meta do Ministério da Saúde com a imunização em mais de 90% dos idosos e puérperas (mulheres com até 45 dias pós-parto. “Vacinamos 93,28% das puérperas e idosos, mas a imunização para as mulheres que estão gestantes encontra-se em 51,47%. É necessário que todas as grávidas, em qualquer idade gestacional, procurem uma das unidades para se proteger”, disse.

Nesta nova etapa, as salas de vacinação para a influenza passaram de dez para 15 em Lauro de Freitas. Agora os integrantes dos públicos alvos podem se dirigir às Unidades de Saúde da Família (USF) Vila Nova, Noel Alves, Padre João Abel, Manoel José Pereira, Antônio Carlos Rodrigues, Parque São Paulo, Cidade Nova, Israel Moreira, Tarumã, Jardim Independência, Espaço Cidadão de segunda a sexta-feira das 08h às 15h30. Já na Policlínica Professor Carlos Bastos e na Escola Municipal de Vida Nova a imunização acontece apenas as terças e quintas-feira. Colégio Mariza Pitanga de segunda a sexta-feira das 08h30 às 12h.

Quem pertence a um dos grupos prioritários – crianças de 06 meses a menores de 06 anos, gestantes, puérperas, idosos, indivíduos de 55 a 59 anos, profissionais das forças armadas e de segurança, professores, pessoas com deficiência, pessoas com comorbidades, caminhoneiros, motoristas, cobradores de transporte coletivo e trabalhadores da saúde – pode se dirigir a uma dessas unidades munido de carteira de vacinação, documento com foto para receber a dose da proteção.

A vacinação protege contra os vírus Influenza A (H1N1, H3N2) e Influenza B. Para ter acesso às doses, os portadores de doenças crônicas deverão apresentar a prescrição médica com o motivo da indicação, ou seja, a patologia que o paciente apresenta. As puérperas também devem comprovar a realização do parto nos últimos 45 dias. “Nós estamos fazendo um chamamento aos país ou responsáveis das crianças de seis meses a menores de seis anos, trabalhadores da saúde, e indivíduos de 55 a 59 anos que são os públicos com menor adesão a irem até uma USF ou escola se proteger”, alerta Regina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *