Anos iniciais do ensino fundamental de Lauro de Freitas superam meta do Estado para Ideb 2019

Compartilhe nas redes sociais:

Resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) mostram avanços na educação municipal de Lauro de Freitas. De acordo com o último estudo, referente ao ano de 2019, o município teve um avanço nos anos iniciais do ensino fundamental, passando de índice 4.5, em 2017, para 4.9. O avanço supera a meta estipulada para o Estado da Bahia no mesmo ciclo que foi de 4.7. Este é o melhor resultado do município na série histórica Ideb.
De acordo com a titular da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Vânia Galvão, o dado é resultado dos esforços de toda a equipe que compõe a Coordenação da Educação Básica voltados para a promoção de atividades enriquecedoras do currículo definido pelo Ministério da Educação, incluindo gestores administrativos, equipes gestoras das escolas e todas as educadoras e educadores.
A secretária destaca que a estratégia desenvolvida por meio do Projeto Leio Escrevo e Calculo (LEC), implementado em 2019, foi fundamental no apoio as aprendizagens significativas reverberando nos resultados alcançados no Ideb. Conforme pondera, o alinhamento da Semed e escolas com coordenadores pedagógicos e docentes deu corpo e força ao projeto.
Também as atividades culturais e educomunicativas promovidas pela Cidade Educadora são responsáveis por esse avanço. A secretária reitera que o resultado positivo faz parte da política de priorização da educação estabelecida desde 2017 na gestão da prefeita Moema Gramacho. Vânia Galvão explica que a evolução do processo educativo ocorre em etapas. Ela considera que este resultado positivo ainda não é o almejado pela secretaria, mas demonstra que os objetivos e metas definidos pela gestão estão sendo cumpridos e devem permanecer seguindo a linha evolutiva.
Anos finais – O resultado positivo também se observa nos anos finais do ensino fundamental, que avançou na direção da meta passando do índice 3.5, em 2017, para 3.8, em 2019. A coordenadora da Educação Básica da rede municipal de ensino, Cristina Kavalkievicz, destaca que, desde 2017, a Semed planeja e implementa um conjunto de ações para potencializar o processo de ensino aprendizagem.
Além do LEC, entre estas ações estão a inclusão de novas disciplinas no currículo escolar relacionadas à identidade, história e cultura local, o projeto do desfile de Emancipação do Município, o Concurso Literário e Artístico, culminando no Novembro Negro, envolvendo toda a rede, a ampliação das escolas em tempo integral, a oferta da qualificação profissional para os estudantes do 9º ano, além da introdução de tecnologias no método de ensino dos profissionais da educação.
Outras ações que colaboram para os avanços na educação pública municipal dizem respeito à promoção de formações continuadas para os educadores e educadoras, em diversas áreas, além da firmação de convênios com outras instâncias governamentais e instituições para a atração de programas e recursos para investimentos em tecnologias, como o Educação Conectada.
Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – O Ideb é uma iniciativa do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para mensurar o desempenho do sistema educacional brasileiro a partir da combinação entre a proficiência obtida pelos estudantes em avaliações externas de larga escala (Sistema de Avaliação da Educação Básica ‐ Saeb) e a taxa de aprovação, indicador que tem influência na eficiência do fluxo escolar, ou seja, na progressão dos estudantes entre etapas/anos na educação básica.
Essas duas dimensões, que refletem problemas estruturais da educação básica brasileira, precisam ser aprimoradas para que o país alcance níveis educacionais compatíveis com seu potencial de desenvolvimento e para garantia do direito educacional expresso na Constituição Federal.
Pela própria construção matemática do indicador (taxa de troca entre as duas dimensões), para elevar o Ideb, as redes de ensino e as escolas precisam melhorar as duas dimensões do indicador, simultaneamente, uma vez que a natureza do Ideb dificulta a sua elevação considerando apenas a melhoria de uma dimensão em detrimento da outra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *