SEMED abre seleção de vídeos produzidos por estudantes que contem a história de Lauro de Freitas

0
521

Como parte das atividades em celebração pelo aniversário de emancipação de Lauro de Freitas, comemorado anualmente em 31 de julho, a Secretaria Municipal de Educação (SEMED) abre projeto de seleção de vídeos que deverão contar a história da cidade. Podem participar estudantes matriculados, incluindo os com deficiência, nas escolas da rede municipal de educação do ensino fundamental I e II, do 5º ao 9º ano. 
Iniciativa do projeto de Educação Patrimonial da Coordenação de Projetos Especiais Cidade Educadora da SEMED, em parceria com a Gávea Cultural e Lauro Criativa, as produções audiovisuais deverão seguir o tema “Memórias das Ruas de Lauro de Freitas”. A submissão dos trabalhos deverá ser feita somente pela internet, de 11 a 20 de julho, por meio do link https://bityli.com/pep-semed, no qual os estudantes serão encaminhados para a página do formulário digital, onde os vídeos poderão ser enviados.
O edital do projeto determina que os vídeos deverão ser autorais, produzidos por qualquer equipamento de filmagem, com duração máxima de até três minutos. Dez vídeos serão classificados pela banca examinadora e premiados, além de serem exibidos no Cine Teatro de Lauro de Freitas. A exibição dos trabalhos ocorrerá em 28 de julho, dia de entrega da premiação.
Para a secretária de Educação, Vânia Galvão, “a atividade do projeto se alinha com as tendências atuais de uso da tecnologia na educação, algo que, inclusive, já vem sendo desenvolvido pela Semed, com um curso de audiovisual para concluintes do ensino fundamental”, disse. 
A coordenadora da Cidade Educadora, Idaci Ferreira, destaca que o projeto estimula a criatividade dos estudantes. “É uma atividade para pôr em prática o que têm aprendido nas aulas, que se tornam mais interessantes, além de motivá-los a conhecer a história do município”, avaliou.
Idealizador do projeto, o professor Antônio Cláudio diz que a ideia surgiu de um bate-papo informal com um amigo. “O objetivo é criar um acervo sobre memória, pertencimento e identidade, por meio de entrevistas com moradores antigos”, explica.

Aladim Locutor

Deixe uma resposta