Governos do Estado e Federal firmam parceria para implantação do Parque Tecnológico Aeroespacial na Bahia 

0
156

Marcelo Kanitz Damasceno, e os senadores da República Jacques Wagner e Otto Alencar também prestigiaram o evento. Estiveram, ainda, presentes ao ato os secretários estaduais de Desenvolvimento Econômico, Angelo Almeida, e de Ciência, Tecnologia e Inovação, André Joazeiro. 

Memorandos 

Na ocasião, foram assinados, também, seis memorandos de entendimento entre o Senai Cimatec e organizações. Os documentos contemplam desde a realização de projetos até intercâmbios de conhecimento e tecnologia, com o intuito de estabelecer colaboração com empresas interessadas para incentivar educação, pesquisa e inovação no Parque Tecnológico Aeroespacial da Bahia. 

O primeiro memorando assinado foi entre a Fieb, o Conselho do Senai Bahia e a Embraer Defesa e Segurança, terceira maior fabricante de aviões do mundo. A empresa Akaer, que oferece soluções integradas para os mercados aeroespaciais e de defesa também assinou o documento. Atuando no desenvolvimento, fabricação, manutenção e suporte logístico de sistemas eletrônicos militares e espaciais, com foco no segmento aeroespacial, defesa e segurança, a Ael Sistemas foi a terceira organização a assinar um memorando de intenções com a Fieb e o Senai Bahia. 

Startup brasileira especializada no desenvolvimento de hardware e software para entregas comerciais, a Speedbird também assinou memorando de intenções com a Fieb e o Senai Bahia, com projeções de investimento no Parque Tecnológico Aeroespacial da Bahia.  Outro memorando foi assinado pela empresa dos Emirados Árabes Unidos, que atua no segmento de plataformas de altitude elevada, realizando vôos não tripulados na estratosfera – a Mira Aerospace. Já o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial do Comando da Aeronáutica (DCTA), assinou um memorando para intercâmbio de conhecimento na área da ciência e tecnologia aeroespacial. 

Segundo André Oliveira, superintendente de Novos Negócios do Senai Cimatec, a parceria para a implantação do Parque Tecnológico Aeroespacial da Bahia é uma grande impulsionadora do avanço tecnológico e educacional no estado. “Talvez, hoje uma das maiores gaps nacionais seja a formação de pessoas para esse setor. Então, iniciaremos com cursos técnicos na área de mecânicas de aeronaves, mas, também, iremos fazer cursos de pós-graduação em engenharia aeronáutica e em parceria com outras universidades, iremos identificar outras oportunidades de curso e, com isso, estabelecer um grande patamar inicial para preparar pessoas para todos esses desafios e oportunidades com as empresas que estarão aqui”, pontuou. 

A segurança jurídica proporcionada pelo Estado para um investimento dessa magnitude, com a cessão da área por 35 anos, prorrogáveis por mais 35 anos, é um importante incentivo para o setor. A instalação do parque na Bahia, conhecida por sua força no setor de biocombustíveis e energias renováveis, permite o desenvolvimento de pesquisas de combustíveis sustentáveis de aviação, contribuindo, assim, para o avanço tecnológico e a inovação no campo aeroespacial. 

Repórter: Laís Nascimento/GOVBA 

Confira aqui a galeria de fotos desta matéria.

Aladim Locutor

Leave a reply